top of page
  • Foto do escritorICMBio Noronha

ICMBio-FN anuncia suspensão temporária da visitação na Piscina do Atalaia

A medida vale para o mês de junho. A atitude visa proteger o ecossistema no período de assoreamento


Fotos: Victória Nascimento


O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) de Fernando de Noronha anunciou, na segunda-feira (10), que a Piscina do Atalaia, localizada na área do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, estará fechada para banho durante todo o mês de junho. A medida foi tomada devido ao assoreamento, um fenômeno natural onde a areia trazida pelas ondas cobre a piscina, afetando a preservação do ecossistema local.


Durante este período, as visitas à Praia do Atalaia serão restritas à contemplação, com um limite diário de 50 pessoas. Ainda não há previsão de reabertura da piscina. A avaliação para a reabertura da piscina natural será divulgada no início de julho.


"Estamos no período de ventos de sul e sudeste mais fortes. Com isso, o mar de fora passa a receber mais swell. E, como consequência, os sedimentos da parte mais rasa da ilha principal são movimentados e acumulados em parte da piscina,” explicou Clara Bunk, bolsista da Área Temática de Pesquisa e Manejo do ICMBio-FN. “E não só na Praia do Atalaia, mas também na Praia do Leão, no Sueste e na Caieira”, afirmou.


Impacto no ecossistema


O assoreamento afeta diretamente a Piscina do Atalaia. "Como é uma piscina natural muito rasa, algumas áreas têm apenas 80 centímetros de profundidade. Com o assoreamento, ela fica mais rasa e muda completamente a dinâmica da piscina,” disse Buck.


O impacto ambiental do assoreamento é significativo. "O fundo da piscina é composto por substrato inconsolidado, areia biogênica, um tapetinho de algas chamado turf e várias colônias de siderastrea, o coral estrela. Eles ficam tampados. Quando a pessoa entra na piscina, ela anda em cima desse ambiente que está coberto,” esclareceu Clara.


Embora os corais e algas sejam resistentes, o impacto do turismo durante o assoreamento é preocupante. "O coral e as algas já estão acostumados com essa dinâmica anual. Eles passam por isso todo ano e são resistentes a ficarem escondidos por um tempo. Porém, o assoreamento combinado com o pisoteamento é impactante para o coral," explicou Clara. Por essa razão, a visitação na Piscina do Atalaia foi suspensa.


Mudanças constantes e assoreamento prolongado


Clara observou que as dunas de areia na área são móveis, mudando constantemente com a maré e o movimento das ondas. "As dunas que se formam de areia, de substrato inconsolidado, são móveis. Quando a maré desce, a configuração muda. No dia seguinte, ela estará diferente novamente."


Ela também destacou que o soterramento tem durado mais tempo nos últimos anos: "O que a gente tem reparado é que está durando mais tempo esse soterramento. Ano passado foram cinco meses praticamente de piscina fechada. Todo ano acontece nessa época."


Meio ambiente e uso público


Para que os visitantes não deixem de apreciar a beleza natural da Praia do Atalaia, o agendamento de visitação continua mantido para a contemplação da paisagem, com um número maior de vagas - 50 pessoas por dia. O agendamento pode ser feito através do Site do Parque Nacional ou presencialmente no Centro de Visitantes, localizado no Boldró.




Por Giselle Vasconcelos - comunicação ICMBio Noronha

e Luiza Ramos Franciscato - voluntária comunicação ICMBio Noronha






コメント


Fernando de Noronha - Noticias Imagem - Site Noronha
bottom of page